quinta-feira, 12 de junho de 2008

A Balada de Leithian

II - De Lúthien a Amada*
Tais ágeis membros não mais correrãona verde terra debaixo do Sol;
tão bela uma donzela não mais serádesde a aurora ao anoitecer,
desde o Sol ao Mar.
O seu vestido era azul como os céus de Verão,
mas cinzentos como o entardecer eram os seus olhos;
o seu manto bordado com belos lilios,mas escuros como as sombras os seus cabelos.
Os seus pés eram rápidos como um pássaro a voar,
o seu riso alegre como a Primavera;
o esbelto salgueiro, o dobradiço junco,
a fragrância de um prado florido,a luz sobre as folhas das árvores,
a voz da água, mais que tudo istoera a sua beleza e bem-aventurança,
a sua glória e encanto.
Ela habitava na terra encantada enquanto o poder élfico ainda dominavaos bosques entrelaçados de Doriath:
ninguém nunca para ai encontrou o caminhosem ser convidado,
nem a beira da florestase atreveu a passar, ou agitar as folhas atentas.
Para norte ficava uma terra de medo,
Dungortheb onde todos os caminhos acabavamem colinas de sombras escuras e frias;
para lá era o domínio da Mortífera Floresta sob a Noite na crescente sombra de Taur-nu-Fuin,onde o Sol era doentio e a Lua pálida.
Para Sul a grande terra inexplorada;
para Oeste o antigo Oceano troava,não navegado e sem costas, i
menso e selvagem;para Leste em picos de azul empilhadas,em silêncio envolvidas, encimadas de névoa,as montanhas do mundo exterior.
Assim Thingol no seu belo salãoentre as altas Mil Cavernasde Menegroth como rei vivia:
para ele nenhuma estrada mortal levava.
Ao seu lado sentava-se a sua rainha imortal,a bela Melian,
que tecia invisíveisredes de encantamentos em redor do seu trono,
e feitiços eram postos em árvore e pedra:
aguçada era a sua espada e alto o seu elmo,o rei da faia, carvalho e olmo.
Quando a erva era verde e as folhas longas,
quando o tentilhão e o tordo cantavam a sua canção,ai por baixo dos ramos e debaixo do Solna sombra e na luz corria
a bela Lúthien a dama élfica,dançando em vales e verdejantes clareiras.

Enfim, apenas uma singela balada, essa história se encontra no livro O Silmarillion de J.R.R.Tolkien e para mim é uma das mais belas histórias já contadas.
E a razão de isto está aqui é simplismente para homenagear o Dia dos Namorados e a minha própria Luthien tão querida e amada.

ESSA É PRA TU AMOR!!!!!!!!!!!!!!!!

*http://forum.valinor.com.br/showthread.php?t=42973

Gildson Góes.
Postar um comentário