sábado, 19 de fevereiro de 2011

News of the World. (ou Era uma vez em um lugar qualquer)


Ditadura de 70 anos chega ao fim em Lugar Qualquer

Cicrano de Souza – Enviado especial à Lugar Qualquer.

O clima continua tenso em Lugar Qualquer, o ditador Mão de Ferro teve de fugir na calada da noite junto com sua família para fugir à fúria dos manifestantes. As ruas estão tomadas de populares, os conflitos com o exército são freqüentes, as lojas estão fechadas, os turistas se escondem apavorados nos hotéis ou tentam fugir em massa através dos aeroportos congestionados.

Os saques a lojas e bancos ainda continua e não há dia em que não possa ser visto carros incendiado nas ruas e estradas da grande capital de Lugar Qualquer, Cidade Grande. Os manifestantes exigem a prisão do ex-ditador Mão de Ferro, porém até o momento não se sabe onde ele e sua família podem estar escondidos. Todas as residências oficiais já foram tomadas, e as propriedades particulares do ditador foram incendiadas. Há suspeitas de que eles podem estar escondidos nas regiões montanhosas do país.

Desde 19... (mil novecentos e uns quebrados) quando assumiu o poder, o Ditador Mão de Ferro nunca havia enfrentado uma revolução de proporções tão grandes quanto essa, embora as constantes reclamações de violação aos direitos humanos tenham feito tantas pilhas de papel no gabinete dos Direitos Humanos que foi preciso construir um prédio específico só para acomodá-las.

Ainda assim, ninguém pareceu levar o problema a sério. De fato, até o início deste ano o Ditador Mão de Ferro ainda era conhecido internacionalmente como presidente Mão de Ferro. Quando questionado pela Comissão de Direito Humanos acerca das denúncias de torturas hediondas e execuções tão macabras que teriam feito Vlad Tepes vomitar, ele apenas respondia: “exageros da oposição” e tudo ficava por isso mesmo.

O que era um evidente mentira, tendo em vista que não havia oposição em Lugar Qualquer, os poucos senadores opositores no Congresso foram mortos e servidos aos cães, isso já nos anos 60, suas mulheres foram estupradas em orgias demasiadamente longas, depois disso foram mortas e estupradas novamente e os pouquíssimos que consideraram isso um ato de extremo mal gosto, foram mortos também.

De fato a “entrega” voluntária de mulheres para o harém do ditador era freqüente, mesmo assim nada disso havia até hoje deflagrado uma reação tão repentina e violenta na sociedade. Alguns crêem que a gota d’água foi a total supressão do twitter no país, outros ainda crêem que as caçadas humanas promovidas pelos filhos do ditador foram a causa, também há aqueles que apostam no decreto que revogou os dois únicos feriados que haviam no país.

Nossa equipe de reportagem, porém, teve acesso a um dos líderes do movimento o funcionário público Bate o Ponto, que nos confirmou que a gota d’água que fez transbordar a raiva do público, não foram os horário inadequados de trabalho, nem as violações aos direitos humanos, nem a evidente falta de respeito à ética, à moral, aos bons costumes e ao decoro, palavras que inclusiva foram retiradas do dicionário oficial e Enrolês (língua oficial do país). Nas palavras do Lider Revolucionário: “Eles matam nossos filhos, aceitamos, roubam nosso pouco dinheiro, aceitamos, nos dão comida de péssima qualidade, aceitamos, os hospitais públicos funcionam nos mesmo prédios dos frigoríficos, aceitamos, mas agora foi demais, acabam com o cafezinho nas repartições públicas e esperam que aceitemos isso de mão beijada?! Abaixo Mão de Ferro!!!!

Acabar com o cafezinho nas instituições públicas, foi mais um golpe do ditador visando retirar a energia revolucionária do povo, bem ao que parece o tiro saiu pela culatra. Com a fuga do ditador, foi formada uma Comissão Constituinte que irá elaborar uma nova Carta Magna para o país, prevendo dentre outras medidas o SUCE (Sistema Único de Café Expresso) que irá levar café quente acompanhando de biscoitos para todas as regiões do país. A curto prazo como medida emergencial prevê-se apenas café com bolachas, mas até um prazo de quatro anos pretende-se servir também Capuccinos totalmente gratuitos no primeiro Sistema Integrado de Cafeterias Públicas já feito no mundo.

Novos tempos chegaram para Lugar Qualquer.

Gildson Góes

Postar um comentário