domingo, 7 de abril de 2013

RESENHA: Ōkami Kodomo no Ame to Yuki (おおかみこどもの雨と雪?)

Assisti ontem a noite esse incrível filme de animação japonesa Okami Kodomo no Ame to Yuki. O filme começa como um romance bobo entre uma jovem estudante universitária, Hana e Ookami, aquele cara bonito, meio desleixado e misterioso, como quem guarda um grande segredo. E o segredo era, o cara era um lobisomem, mas a garota não se importa e eles começam a viver uma história de amor.

Eu sei, mais parece uma das abominaveis histórias de Stephenie Meyer, mas não é, porque a história de verdade não começa aí, começa quando esse amor acaba gerando dois filhos, ambos lobisomens como o pai, e este acaba morrendo num acidente tolo, enquanto estava transformado em lobo. Hana encontra o corpo do seu amado sendo jogado na traseira de um caminhão de lixo como um cachorro de rua qualquer.

A partir de então Hana tem um desafio, criar seus filhos sozinha num mundo que não pode saber de sua existência e tendo que lidar com os institnto meio humanos meio caninos das crianças, a mais velha e extrovertida Yuki e o medroso Ame.

Acaba virando um filme sobre os desafios da maternidade e também sobre crescimento e maturidade, interessante ver como as crianças vão mudando conforme o passar do tempo, Yuki que parecia mais inclinada a ser um lobo que uma humana acaba se integrando cada vez mais a sociedade deixando para trás seu lado animal, enquanto Ame, que era o mais medroso, acaba escolhendo a vida selvagem de um lobo e se afastando cada vez mais do convívio humano.

Hana também acaba amadurecendo, ficando cada vez mais forte e confiante, enfrentando todas as adversidades de sua nada fácil vida sempre com um sorriso no rosto. Parece piegas, mas no filme tudo soa muito natural e a nossa simpatia por Hana é quase instantânea.

A animação é de alta qualidade, feita pelo Studio Shizou em parceria com o famosíssimo Madhouse (o mesmo de Death Note, Trigun, Claymore, dentre outros), pelo menos para os fãs de anime. O desenho dos personagens ficou a cargo de Yoshiuki Sadamoto, o mesmo que desenhou os personagens de Evangelion e a direção está a cargo de Mamoru Hosoda, que dirigiu alguns filmes de Digimon, não que isso seja lá um mérito, mas esse com certeza é seu melhor filme, dentre os que eu conheço pelo menos.

Recomendado, assista.
Postar um comentário