terça-feira, 26 de agosto de 2008

Zeca e Joca em Conversas no Front de Batalha.

Ainda na grandiosa revolução acreana...

_ Ô Zeca olha lá do outro lado. - falou Joca.
_ Que foi homi?
_ É o Juan Pablo Assuncion de Las Casas. Aquele que era nosso cumpadi!
_ Ah tá to lembrado. Quede ele?
_ Ta ali atirando em nois, vou dar uma palavrinha com ele.
Joca mira sua arma bem no chapeu de Juan e atira. Acena do outro lado.
_Ô Juan, como é que vai cumpadi.
_ Ola amigo, esta tudo bien por aqui, como estão ustedes?
_ Tamo por aqui matando uns boliviano.
_ Yo estoi mantando uns brasileiro, já matei uns cinco.
_ Pois eu já matei bem um vinte boliviano.
_ Ah eu disse cinco? Quis decir veinte cinco.
_ Ah ta eu sei boliviano safado. Oh o Zeca ta aqui também atirando comigo!
_ Ola Zeca!
_ Como vai cumpadi Pablo! E a mulher?
Nessa hora, Zeca entrou em tiroteio acirrado como um boliviano bom de tiro, depois de alguns minutos de grande duelo, bala ia, bala vinha, ele finalmente acertou uma na testa do infeliz. Enquanto isso a conversa continuava animada entre Joca e Juan, terminada a batalha Zeca se escondeu na trincheira pra descansar.
_ Poxa até que enfim. Um descanso pra variar. E aí o Juan já foi?
_ É... foi sim...
_ Nem ouvi o que ele me respondeu da mulher dele.
_ Ah sim eu ouvi, ta muito bem de saúde, forte, pena só que recentemente a bichinha enviuvou.
_ E ta viuva a mulher do Juan? Coitado ele deve ta.... - só então caiu a ficha. - Tu matou ele num matou?
_ Num me olha assim não Zeca, amigos-amigos, guerra é a parte.
_ Pior é que é mermo.
_ Ó lá, ja voltaram.
_ O povinho pra num saber descansar.
E continuam os tiroteios.


Gildson Góes.
Postar um comentário