sexta-feira, 22 de maio de 2009

Sexta a Noite no Seringueiro Voador.

Então lá chego eu na lanchonete bonita e nova, cheio de vontade de tomar aquele açaí cremoso e talz. Daí chega a garçonete com o cardápio e a noite começa a desandar.
Aí vai o diálogo:

_ Bem, acho que vou querer um Gulaçaí (sim, esse é o nome do dito cujo) grande com granola. Só gostaria que vocês tirassem o guaraná, por favor.
_ Infelizmente não podemos tirar o guaraná senhor, ele já vem de fora assim, misturado.

Momento de reflexão:
Estamos no Acre, tipo na Amazônia, e eles trazem o açaí de fora????
Pow, nada contra neh, capitalismo é capitalismo, submeti-me ao guaraná.

E então chega a tijela... por um minuto achei que tinham trazido a tijela errada, mas não. Aquilo, pequeno e apertado era a tijela de açaí. Tudo isso pela bagatela de oito reais. Só. Baratíssimo!

Sem mencionar que o "cremoso" era uma circunferência de creme de leite no meio do pote.

É, mas pelo menos tava comestível, a Elynalia coitada pediu um açaí batido com banana que deve se uma das coisas mais amargas que eu já provei.

Ao fim, pagamos as contas e saímos deixando o gerente pensando: Mais dois clientes satisfeitos!

Eu que não volto lá. Tem açaí melhor por aí.

P.S. Essa histórias não aconteceu numa sexta a noite, mas sim numa segunda a noite da semana passada. Mas só tive vontade de escrever hoje.

Até a proxima...

Gildson Góes.
Postar um comentário