quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Balada de Chico Moreno e o Bicho Feio - Canto V, parte 1

Canto V – A Tragédia de Paulo

Na cidade natal, Chico chegando
não quis saber de descanso
Saiu na cidade a pesquisar
Informações que pudessem ajudar

Saiu perguntando com muito jeito
Pessoas que soubesse dizer direito
A história, os atos e os feitos
E a localização do Bicho Feio.

Chegaram então a um bar
A todos começaram a indagar
Mas ali só tinha bebo tonto
Que não tinham respostas a dar.

Tadeu percebeu um velho embriago
Na parede dos fundos do bar encostado
Tinha na boca um sorriso largo
De quem tem um segredo a ser contado

“Vocês querem saber do Bicho Feio
Esse é um caminho sem jeito
É melhor pensarem bem agora
Se ouvirem minha história
O caminho não tem volta”

“Pois pare de ficar enrolando
Respondeu logo o Moreno
A história do Bicho vá contando
Que não sou de ficar me tremendo.
E se o senhor diz que o caminho é sem volta
É porque esse Bicho eu vou botar na cova”

“Pois então vou lhe contar o que sucedeu
Há muitos anos nessa cidade,
Vou lhe contar como o bicho feio nasceu
E virou tão assombrosa entidade.”

“Morou nessas matas, Paulo um homem correto
Pai atencioso, esposo dedicado
E apesar de ser assim tão honesto
Acabou sendo assassinado
Pois Ilza a mulher mais bela da cidade
Havia por ele se apaixonado
Largando Camargo o valentão
Tendo com Paulo casado
Tiveram dois filhos e viviam felizes
Mas seus destinos estavam selados
Pois Camargo de ódio inflamado
De Paulo jurou se vingar
Por lhe ter a mulher roubado”

O velho se levantou do chão
E cambaleante se encostou no balcão
“Com muito prazer lhes conto de graça
O resto desta triste e verdadeira saga
Só gostaria de molhar a garganta
Com um golinho de cachaça
Mas como sou pobre e velho
Não tenho dinheiro para a paga”

Chico Moreno, curioso como estava
Comprou-lhe logo uma garrafa
Depois de um gole longo
O velho continuou com seu conto.

“Vivia o casal feliz numa casinha de paxiúba
E na noite pra lá foi Camargo
Até os dentes armado,
Pra deixar a ex-namorada viúva.
Já chegou xingando e derrubando tudo
‘Paulo vem cá, seu Puto
Que hoje tu me paga
Vou te enterrar em cova rasa.’
‘Nessa casa ele não está
Saiu pra mata a caçar
Vai-te embora Camargo
Ou a polícia vou chamar’
Era Ilza quem lhe falava
Mas isso não lhe bastava
Tinha vindo ver o homem assassinado
Não iria sair dali frustado
Assim o diabo se apossou de sua mente
E planejou uma vingança inclemente
Gostaria muito dessa história continuar
Mas minha garganta seca está”

Como não terminei esse canto todo e os leitores demonstraram pressa, publico então a primeira parte do canto cinco, tentarei postar mais rápido, porém o tempo me é curto, tenham paciência, ainda vai rolar muita coisa na aventura de Chico Moreno e o Bicho Feio.

Não sei se é legal manter uma história tão longa no blog, pode acabar cansando, mas é uma experiência, se eu conseguir manter a atenção de vocês que estão acompanhando a história já ganhei o dia.

Gostaria de deixar registrado a presença gramaticalmente correta do jornalista Altino Machado no blog, e também soube que o jornalista Elson Martins já nos visitou e aprovou este meu cordel. É isso aê galera tamo ficando famoso.
Até a próxima


Gildson Góes.
Postar um comentário